Professora do IESB apresenta estudo de Doutorado no 13º Women’s Worlds Congress

A professora  do curso de Pedagogia, Olga Cristina Rocha de Freitas, apresentou sua pesquisa intitulada “A feminização da educação e a ocupação dos espaços de poder na escola” no 13º Women’s Worlds Congress & Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 - Transformações, Conexões, Deslocamentos. O Congresso aconteceu em Florianópolis entre os dias 31 de julho e 4 de agosto.

Realizada para  sua tese de Doutorado, a pesquisa mostra a força da cultura machista, hegemônica,  naturalizada no comportamento e atitudes femininos, principalmente quando da escolha de suas lideranças. “O discurso sexista de que é papel do homem liderar, comandar, decidir é naturalizado e reproduzido  pelas mulheres,  que não se percebem competentes para a liderança e a gestão da coisa pública, sobretudo da escola, embora seja espaço majoritariamente feminino”, explica a docente.

Confira a tese completa aqui.

Sobre a professora

Olga Cristina Rocha de Freitas é Pedagoga, Doutoranda em Educação, Mestre em Neurociência do Comportamento, e Especialista em Escola, Gestão e Democracia. É habilitada no Exame Nacional de Proficiência para ensino da Língua Brasileira de Sinais - Libras em nível superior - PROLIBRAS -, promovido pelo MEC/UFSC. É professora da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal, atuando na Educação Inclusiva e na formação docente, e professora universitária, atuando na área de Educação, em Graduação e Pós-Graduação, nas modalidades presencial e a distância. Foi Subsecretária de Formação Continuada da Escola de Governo do Distrito Federal - EGOV-SEAPDF, e Subsecretária de Formação Continuada da Escola de Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação - EAPE/SEDF. Atua como docente na formação continuada de trabalhadores em educação, com foco na gestão escolar democrática. Atua como consultora em Educação Especial e Inclusiva, Língua Brasileira de Sinais e Formação Inicial e Continuada de trabalhadores em educação em diferentes estados e instituições brasileiros. Integra grupos de pesquisa e extensão universitária na Universidade de Brasília. Tem publicações nas áreas de educação, surdez, educação especial e inclusiva, direitos humanos e diversidade e formação inicial e continuada dos trabalhadores em educação. Recebeu o prêmio Personalidade da Educação 2005, da Câmara Legislativa do Distrito Federal, foi finalista do prêmio da Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Assistiva (2007), e recebeu o prêmio Mulher Educadora, Cidadã do Mundo (2011), do Sindicato dos Professores do Distrito Federal.



Compartilhe: